HRO dispõe de moderno aparelho para endoscopia
banner-sobrepor2
31.08.2011

HRO dispõe de moderno aparelho para endoscopia

Associação Hospitalar Lenoir Vargas Ferreira (AHLVF), entidade filantrópica que administra o Hospital Regional do Oeste (HRO) disponibiliza moderno equipamento para realização de exames por endoscopia. Trata-se de conjunto completo de vídeo endoscópio da marca Pentax, modelo EPK 1.000, completo com receptores de tubos para realização de exames gastro, cólono e duodenoscopia.

Conta ainda com rack, monitor 22 polegadas de LCD, com saída para impressora, e vídeo com sistema de captura em mídia removível (CD, pendrive, etc). De acordo com o administrador do HRO, Adélio Majolo além do laudo, havendo necessidade solicitada pelo profissional médico assistente, uma cópia dos exames realizados poderão ser entregues em CD ou via e-mail, possibilitando que o exame seja também totalmente visualizado pelo médico que assiste o paciente. A entrega do exame em mídia removível representa também economia financeira e menor agressão ao meio ambiente uma vez que paulatinamente será dispensada impressão colorida do exame em papel. “Será menos gasto com tinta colorida em impressora, menos gasto com folhas de papel e maior comodidade ao profissional que realiza o exame, ao médico assistente e ao paciente, podendo ser mantido arquivo do exame por dezenas de anos”, pondera o administrador Majolo.

Compõem a escala da equipe de profissionais no setor de endoscopia os médicos plantonistas Jerzy Brzozowski, gastroenterologista e endoscopista; Milton Ernesto Scopel, gastroenterologista, hepatologista e colonoscopista. Também integram o setor de endoscopia Adriana de Souza, enfermeira; Soneli Merísio Brancher, técnica em enfermagem e, Ivanete Lins, técnica em enfermagem. A endoscopia está instalada com acomodações específicas junto ao setor de imagem do Hospital Regional do Oeste no quinto andar. São realizados em média 40 procedimentos por mês. Os atendimentos são para pacientes oriundos em situação de urgência ou emergência no Pronto Socorro, pacientes internados e, a maior parte dos exames é em pacientes da Oncologia. A estes últimos destina-se para exames e diagnósticos para acompanhamento e avaliação da evolução do tratamento destinado a cada caso.

Conforme o gastroenterologista e endoscopista, médico Jerzy Brzozowski a imagem emitida através do vídeo endoscópio proporciona maior definição e percepção na realização do exame, diferenciando do fibro endoscópio. Para o médico como a chegada do novo aparelho, os equipamentos usados de modo geral anteriormente não são obsoletos. “Podemos realizar exames no Centro Cirúrgico, UTI ou qualquer outro local com o fibro endoscópio devido a sua praticidade e mobilidade. Já este novo equipamento dispõe de maior estrutura e sensibilidade no manuseio. Sem dúvida as diferenças na percepção do exame são o grande diferencial, pois assim podemos pesquisar ainda mais e podemos manter vasta documentação digital após a realização com o vídeo, inclusive para estudo de caso científico, tido como ‘raro’ na literatura médica”, observa Brzozowski.

De acordo com o médico Milton Ernesto Scopel especialista em gastroenterologia, hepatologia e colonoscopia, “atualmente é indispensável que um hospital deste porte esteja bem equipado e, no que se refere ao vídeo endoscópio”. O experiente profissional considera ainda: “Acreditamos que veio em boa hora, até porque, este aparelho permite um melhor aprendizado aos estagiários do curso de Medicina da Unochapecó e, também possibilita melhor a prática de endoscopia terapêutica”.

Já o médico integrante do corpo clínico do HRO, gastroenterologista, hepatologista, endoscopista Almiro de Miranda Ramos com formação em clínica geral há 38 anos, sendo 35 atuando na endoscopia, esse moderno equipamento proporciona visualizar a imagem da mucosa sendo examinada, ampliada em 20 vezes do seu tamanho real. “Melhora muita acurácia do diagnóstico para procedimento terapêutico proporcionando maior segurança”, avalia doutor Almiro. Ele lembra que há cerca de três décadas quando começaram ser realizados exames por fibro endoscopia, o médico utilizava aparelho de fibra ótica, o qual era transportado em mala até os hospitais para realização do exame. Hoje com o avanço da tecnologia na medicina, aparelhos modernos como esse que a entidade filantrópica que administra o HRO adquiriu, é possível efetuar exames com mais segurança em menor tempo, o que proporciona ao médico e paciente melhor informação do diagnóstico para tratamento.

O gabinete que compõe o conjunto do aparelho para exames de endoscopia possibilita realização também de colonoscopia e duodenoscopia, o que para tanto necessita de acessórios específicos. “Nosso próximo passo, antes de qualquer coisa, é solicitar à administração do hospital vídeo colonoscopia e duodenoscopia, pois é possível acoplar tudo neste mesmo equipamento”, afirma Almiro. Em relação à duodenoscopia é possível realização de exames acurados de duodeno, pâncreas e vias biliares.

Endoscopia Digestiva: Saiba Mais

O que é?

De acordo com o site ABC da Saúde, a Endoscopia Digestiva consiste num método de investigação de doenças do esôfago, estomago e intestinos através de tubos flexíveis introduzidos pela cavidade oral ou anal. A primeira chama-se endoscopia digestiva alta e a segunda, colonoscopia. Esses instrumentos permitem visualizar a mucosa (revestimento interno) do tubo digestivo, e realizar detalhada avaliação, assim como coletar material ou mesmo realizar pequenas cirurgias.

Inicialmente, examina-se o órgão como um todo, para verificar se há alguma alteração em seu revestimento. Na prevenção do câncer, é método bem estabelecido, especialmente do câncer de estômago, esôfago e intestino grosso. Pequenas lesões, assim como lesões superficiais podem ser removidas durante o procedimento endoscópico, evitando-se desta forma cirurgia convencional. A endoscopia, como um todo, evoluiu muito nas últimas décadas. Pode-se, também, examinar as vias biliares e pancreáticas.

Como se realiza?

Existe um receio dos pacientes quando lhes é solicitado endoscopia, porque a palavra endoscopia está associada a algo que vai nos impedir de respirar, ao mesmo tempo em que algo entrará em nosso organismo. Na realidade os procedimentos endoscópicos nos dias de hoje são indolores. Tanto a endoscopia alta quanto a baixa são efetuadas sob sedação endovenosa que não deixa o paciente sentir dor ou desconforto. A respiração do paciente é normal durante o exame, e sua oxigenação é controlada através de equipamentos. A duração do exame de endoscopia digestiva alta é de 5 a 10 minutos e da baixa de 15 a 30 minutos, podendo prolongar-se em situações mais difíceis.

O que acontece após o exame?

Você será conduzido para a sala de recuperação, onde ficará repousando por 15 a 30 minutos, tempo suficiente para despertar completamente. Um familiar ou amigo deverá acompanhá-lo até a sua residência. Importante: não poderá dirigir ou tomar qualquer decisão ou atitude importante (por exemplo assinar cheques, documentos ou operar máquinas e equipamentos. O médico lhe dará um atestado para dispensá-lo do trabalho se for o caso. Poderá alimentar-se normalmente após os exames.

Como ficarei sabendo do resultado?

Os modernos serviços de endoscopia possuem unidades de captura de imagem, o que deixará seu resultado mantido em banco de imagens e fornecê-lo ao paciente. Caso tenha havido coleta de material (análise de lesões, células, bactérias, etc.), você terá de aguardar alguns dias para o resultado final.